quarta-feira, 6 de junho de 2012

Muzungo


Por Germano Xavier 

(ou aquele que é estrangeiro)


aquele que é estrangeiro chega
e não leva o prêmio de estar
(é uma ilusão crer no estar sem o tempo de ser)
o passageiro contempla
o que está morto em sua vontade
(há um canibalismo próprio em se passar)
morre-se olhando
mata-se fazendo caminhar as vistas
ao Longe
(tão longo e lento e veloz)

aquele que é estrangeiro
leva o feno do sol
a pouca matéria inanimada
do iludir-se em vão

o passageiro vê a dúvida de sua janela ocular
vive o incerto e vive o ser-não-sendo
na vaga certeza de estar lá
onde há o Longe

(um lugar tão longo e lento e veloz logo como o Longe)

Um comentário:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Float
by *Hengki24"
Deviantart