sábado, 29 de janeiro de 2011

O condado de Spitzbergen


Por Germano Xavier

II


Em sua última aparição, Napoleão Joujaumontx encarou imbróglios diversos que acabaram por mexer no seu comportamento habitual. Percebendo que nada estava acontecendo como ele queria, Napoleão Joujaumontx resolveu observar a administração de um de seus impérios do Ártico, ali nas proximidades de Spitzbergen. Furioso ao ver os desmandos de seus dependentes, o general de cinco estrelas, Napoleão Joujaumontx, decidiu ir ao encontro de seu mais antigo súdito e provável herdeiro de seu trono, posto que havia desconfiado de alguma falcatrua ideológica e de uma decepcionante corrupção material.

Parecia perdido em sua existência errante, quando tomou fôlego novamente e corroborou a sua última frase, dizendo...

- Já sei u qui fazê, pô! Tenhu um planu mirabolanti aqui na cachola. Aqueli salafráriu du Pinóquio vai si arrependê di tê mi conhecidu. Eli vai vê cum quem está li danu! Ah, si vai...

Napoleão Joujaumontx, a lenda viva e o virtuose do poder, num acesso de cólera, iça sua adaga imperial e grita gritos de homem já experimentado em fronts por todo o mundo...

- Eu hei di ti pegar, seu gatu disgramadu! Eu hei di arrancá us fiapus di teu bigodi, seu bichanu di uma figa! Ou eu ti capu di uma vêis pur todas ou eu não mi chamu Napoleão Joujaumontx!

Depois de elevar a voz forte e máscula de guerreador invencível, Napoleão Joujaumontx, ele mesmo, o irmão caçula do Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de la Mancha, aquele do Saavedra, olha para o seu relógio suíço de ouro 24 quilates e acerta os ponteiros de sua próxima glória...

- Agora são 07:37 da matina i você tem exatamenti uma hora pá aparecê di ondi quer qui você isteja, seu Pinóquio disgraçadu. Eu não disistu assim tão fácil não! Doa a quem duê, eu ti capu ainda hoji. Nunca mais você vai mi disobedecê dessi jeitu. I vou logu avisanu, viu! É melhó você trazê a disgraça du meu chinelu, purque sinão a coisa podi ficá ainda mais preta pú seu lado!

Armado da cabeça aos pés e com os devidos broches da Academia Militar de Paris pendurados no belo capuz azul com bordados turcos, o artilheiro-mor Napoleão Joujaumontx começa a aferir todos os recantos do condado de Spitzbergen, onde descansava havia duas semanas...

- Ondi é qui essi infiliz si meteu!? Atráis da bosta da geladêra nova eli num tá. Nem imbaixu da pia. Piorô atrais du bujão. Sabi di uma coisa, eu vô é procurá lá no banhêru. Gatu gosta di iscondê suas artis em locais privadus. Nada melhô du qui vê si eli istá atráis da latrina. Não custa nada averiguá!

Conhecendo novamente a força que impulsiona os maiores homens da história a lhe percorrer as veias e as artérias, o indestrutível Napoleão Joujaumontx demonstra uma certa malemolência corporal logo depois de adentrar pelo portão sul do Condado de Spitzbergen, perto do setor de descarga de paramentos bélicos de seu já citado território...

- Pô, qui disgraça di fedô é essi! Qui disgraça é essa, meu padin Ciço! Quem foi qui obrô nessa merda i não deu discarga!? Pinóoooquio, seu felinu maleducadu! Deixa eu ti pegá qui você vai vê a cô du meu currião vermei, viu... Pô, esse banhêru tá parecenu us infernu... cum aqueli tantu di inxofri frevenu nus caldeirão lá das terra di baixu. Qui fedentina, meu padim! Pareci qui não limparu a privada desdi o início du anu.

Surpresa maior o maior dos mestres da guerra iria ter ao abrir a tampa do seu esconderijo subterrâneo...

- Qui tulete é essi, meu sinhôzim do Ceará! Aqui tem cocô qui não acaba mais! E é cocô di gatu, i di gatu safadu! Pinóooquio, seu gatu fididu, queru tê uma convessinha cum o sinhô! Apareça, seu vermi disubidienti!

Depois do susto, mas ainda claudicante, Napoleão Joujaumontx percebe uma trilha feita com as pegadas de seu súdito. Uma trilha construída recentemente, ainda viva e de perfeitas formas...

- Ah rá, seu Pinóquio di uma figa! Seguindu essa istradinha eu vô ti achar rapidinhu e pegá você cum a boca na butija!

Mesmo descobrindo uma real pista do seu escudeiro trapaceiro, o irmão caçula do Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de la Mancha, o fenomenal Napoleão Joujaumontx, utiliza-se de cautela, dom daqueles que já nasceram para a arte da guerra*...

- Eu não possu mi afoitá. A paciência nessas hora é a melhó coisa a si produzí. Precisu esperá chegá u meiu du dia, pois assim terei mais chanci di capiturá Pinóquio. Todu gatu é priguiçosu quandu u sol tá nu meiu du céu.

É quando Napoleão Joujaumontx percebe alguma coisa a se movimentar no setor norte do Condado de Spitzbergen...

- Meu padin Ciiiiiçooo! U qui foi aquilu, meu deus!?!?!

...

Não perca o próximo capítulo da saga de Napoleão Joujaumontx!
Você não perde por esperar...

Obs: Napoleão Joujaumontx não leu "A Arte da Guerra", de Sun Tzu. Todos os seus conhecimentos foram adquiridos em campos de batalha, comendo o pão que o diabo amassou.

Um comentário:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"In fuga
by ~paoloperini"
Deviantart