quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

O resto não conta



Por Germano Xavier

III

Perdoai a eles, pois eles não sabem o que fazem. Desse perdão também quero gozar. Eis-me aqui novamente, tentando desfazer os preconceitos vários. Pessoal, quantas vezes eu vou ter de dizer que eu não estou querendo criar confusão!? Eu não sou louco! Eu sou apenas um sonhador que acredita em "Mundos". O resto não conta. Estou atravessando uma fase bastante fértil e calma em minha vida. Faz alguns dias que não tomo nenhum tipo de psicotrópico. Confesso que estou mais livre e menos triste. Uma leve sensação de liberdade. Argh! Rápido, preciso dos meus "ingredientes"! Ah!... e também de um livro de poesia! Augusto! Grande Baudelaire... Nessa maresia em que me configuro atualmente, vou mesmo ficar doente da cabeça. Onde já se viu... liberdade? Liberdade é ilusão, é cabeça vazia, é foice que dilacera, é labirinto de sombras, é guilhotina, é cadafalso, é catafalco, é calabouço.

Tenho de recuperar o tempo perdido! Preciso de doses extrafortes, mais concentradas. Liberdade na pós-modernidade? Liberdade é calabouço, cala a boca! Cale-se, seu idiota! Viver é uma provocação, e isso basta! Espelho de Narciso, Édipo Rei ou Hamlet, de onde surgem esses ventos tão frios? Não, não se exalte! As crianças... coitadas! Pássaros coloridos, onde o meu "preparado"? Deus, o que é liberdade? Eu ainda não sei o significado dessa palavra. Liberdade deve ser barriga d'água, mulher que cede, cavalo que vara, dinheiro nas ancas. Porca miséria, meus "redondinhos"!? Quanta ignorãncia, meu Deus! Continue! Viva! Apenas viva! O que eu quero é isso. Nada mais que isso. Não se preocupe comigo, eu estou aqui só de passagem mesmo! E quanto mais rápido for, melhor a aventura.

Sabe, eu sou um sonhador, e em um dos meus mundos os sonhos são como borboletas azuis. Por favor, entenda! O tempo é cada vez mais reduzido, mas ainda há esperança. A corda... pegue a corda! E corra! Corra para bem longe. E não deixe marcas pelo caminho, pois a recompensa há de ser só sua. Vamos! Abra os olhos! Eu sei que há "Mundos". Eu sei. Mas... o que é liberdade? Não, eu não posso parar. Minha cabeça parece que vai explodir. Meus... tóxicos (algemas?)! Eu teimo, insisto e não desisto. Cale-se, para sempre!

2 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"in deep waters
by *partiallyHere"
Deviantart

Alicia disse...

uau, pensei ter um dejavu agora.
mas daí me lembrei que li sobre isso (o mesmo assunto do post) em "a insustentável leveza do ser", ainda hoje.
pune-se os ingênuos?

que belo texto.