quinta-feira, 4 de abril de 2013

Motivações infames para o ir


Por Germano Xavier

observamos o cotidiano
produzimos o cotidiano
não respeitamos o cotidiano

qual a tua experiência no Tempo, homem?
pode haver mais realidade no homem
do que na própria realidade
qual realidade?

formas breves nos compõem
de fragmentos nos alimentamos
a unidade do todo é apenas um deserto
o único dicionário dita verbetes do inexistente
e nenhum acordo desregra o que burla

em pedaços estamos
passo a passo giramos
para onde não somos
para quando não irmos

para o plano
dos fundos

2 comentários:

Letícia Palmeira disse...

Para o 'quarto' dos fundos, eu diria.

Forte a sua poesia do absurdo questionável.

...

Lisa Alves disse...

Perfeito. Alegra-me ler tua percepção.