terça-feira, 23 de abril de 2013

Eu-Tempo: uma biografia

Imagem: Deviantart
Por Germano Xavier


eu-Tempo
de andar em tantos o homem escolheu
de andados tontos o muro ruiu
o violonista encolheu o som
o cinema recordou a vida

eu-Tempo
fui rei da neve
príncipe pequeno de um reino atlântico
no silêncio o céu de outono
caiu em primavera

eu-Tempo
rompi segredos
desatei escolas de beijos
menti e amei e mais amei
a redação de minhas noites

eu-Tempo
tampo a sólida angústia
não fui nada-agrado ou fúria
fui mesmo a reza nunca a república
preferi o que tanto combati em sonho

2 comentários:

Caroline Godtbil disse...

Tempo... a sólida angústia!
E é...
Beijos.

Urbano Gonçalo disse...

Insprado amigo Germano, gostei.
Eu-faz tempo que adormeci a minha inspiração.
Abraço, fica bem.