sábado, 16 de abril de 2011

O brilho azul de Goiânia


Por Germano Xavier

O filme Césio 137 - O pesadelo de Goiânia, do cineasta Roberto Pires, enfoca, com bastante verosimilhança, todo o processo que originou o maior acidente radiológico em área urbana do mundo, acontecido na cidade de Goiânia, ao cabo do dia 13 de setembro de 1987. Com uma linguagem cinematográfica simples, o longa-metragem consegue surpreender o público do início ao fim. A elaboração de um roteiro muito bem trabalhado, tanto pelos atores quanto pela equipe de fotografia e filmagem, possibilitou contar com fidelidade e riqueza de detalhes a história que começou quando dois sucateiros encontram, nas antigas dependências da Santa Casa de Misericórdia, um aparelho de radioterapia abandonado. Desconhecendo o perigo do material recolhido, os dois se interessam apenas com o que poderiam lucrar a partir da venda das partes de metal e chumbo do estranho artefato. Os trabalhos realizados pelo Departamento de Instalações Nucleares, assim como os da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEM), que tinham por objetivo desfazer e eliminar os focos de contaminação, foram retratados com muita clareza, sem extrapolações ou exageros. Um filme tão importante para o cenário cinematográfico brasileiro quanto foi o acontecimento propriamente dito. Um marco que revela a importância do registro cinematográfico para a manutenção da história do nosso país.

Um comentário:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Nuvens Azuis by ~think0"
DEviantart