quarta-feira, 6 de abril de 2011

Tempo


Por Germano Xavier

Não é interminável o tempo,
o tempo de se renascer?

Esse tempo que já foi o tempo da minha avó
e que agora é meu tempo, teu tempo, nosso tempo...
tempo da gente, tempo de todo mundo.

Esse tempo tem tempo
ou é atemporal o tempo que faz viver?

Por que guardamos o melhor dos tempos
no pouco tempo que temos para guardar?
Porque jogamos tempo fora
quando poderíamos gastar o tempo ganhando tempos?
Por que ficar pensando no tempo
se ao mesmo tempo perdemos tanto,
tanto tempo...

O que é o tempo, uma mesa cheia de livros estancados?
O burburinho que ouço na rua e seu logo silêncio estático?
A mulher cadavérica sorrindo para mim é o tempo?
Que cor tem o tempo?
Como acena?

Com que medo ou pena você surge
me dando todo o tempo de que preciso
para apenas ver o tempo vencer?

Com que raiva vou pra cima
de você

pedir que acabe logo com esta sina
de lutar

com quem sempre gosta de se perder?

3 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"lined up by *M-a-e-e"
Deviantart

Jesa disse...

Really lovely blog!!

x, Jesa

Bípede Falante disse...

O tempo é mesmo soberano, e a gente uma coisinha.