sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Borges conduzindo cegos



Por Germano Xavier

minha visão clandestina
aborta em tomos a vida... (o que você é
senão uma célula de esplendor e derrota?)
sinto a cortina mágica se fechando
e todas as cores, antes particulares,
humanizaram-se.

toda sombra é um partido,
toda cegueira uma biografia de nuca
e nada dura tanto
como um retrocesso ao destino que já era.

sem corpo está o monumento de olhar
as nuas coisas do homem. tornamo-nos falsos
artistas, empregados à arte da corrosiva demora
de crer no branco puro, de ver.

Um comentário:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Fim2 by ~Dreaming-in-Sepia"
Deviantart