domingo, 11 de novembro de 2012

Canções de sinos VI


Por Germano Xavier

VI

Que importa esta nuvem alta
no céu em passeio, em dança, em valsa,
flutuando nos mares dos ares suspensos
a te dizer em inumerável chama
"voa, Amor!",
se incompassível ergues tua
literatura de amar descompassada
e de frio e de sangue...

De que vale tudo isso,
o céu dos caminhos, as conversas
em destino, as lágrimas em sombras
de árvores deixadas, o vento
- ah, o vento! -,
se o amor não te sabe,
se o amor é essa mesma nuvem que passa
em dança flutuante, em valsa,
e que te nega a essência dos azuis?

6 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"411 by ~Dressed-In-White"
Deviantart

Wilson Torres Nanini disse...

Amor é quando nuvem, céu e mar se alinham.

Forte abraço, Germano!

Rosangela Neri disse...

Tudo... tudinho vale a pena!!!

Beijinhos

Cleyson Gomes disse...

Blz, Germano! Venho do Gambiarra Profana. Cara, teu blog é muito bom!

Cris Campos disse...

Ah esse amor, amor, amor... é sempre um contentamento descontente, uma dor que arde sem doer, uma incompleta completude, uma fome insaciável... Lembrou-me aquela canção "de que vale tudo isso, se você não está aqui?" Gr. Bjoo e uma linda semana repleta de essências pra você!

Arco-Íris de Frida disse...

De que vale tudo isso?