segunda-feira, 16 de maio de 2011

Bonde velho


Por Germano Xavier

Para Karlos Lory


Camarada, este bonde velho
ainda nos levará além. Esta
nossa nudez gritada de ausências
transforma-se-á no estrondoso som
de nossos sonhos.

Além... muito além, mudaremos.
Fugiremos deste eremitério em que estamos,
posto que o sol fica
em retidão
unânime
e não brilha o cristal de nossos punhos.
E como inesquecível será o gosto
do líquido bebido em renovada atmosfera!
Mas que lembrarei de ti em surpresas
e adivinhações, de nossas noites estudantis
e de reclames...
Isto muito mais que tudo.

Ah, camarada, como esquecer de nossos prêmios!
Como acobertar os triunfos conquistados em união,
mesmo que não valha o infinito esforço a gentil
insensatez das horas!

Eu sei que o Tempo deambula o meu quesito mais essencial e verdadeiro:
o de sincerizar-se,
mesmo no usufruto da indiferença inevitável
a que me atenho em obediência servil
em sentidos momentos,
e sinto vazar de você os significados
de toda a língua nascida em choques.

Fomos nós que criamos o mundo, aquele,
revertido e secreto, virtual
e concreto,
no qual procuramos destacar
a importância das leituras humanas.

Fomos nós, pobres apaixonados
pela mesma musa, a palavra, que
universalizamos o verbo esquinar
e derramamos a púrpura tintura
sobre a seca moldura podre dos envenenados.

Ah, camarada, meu camarada, como não brindar
toda a prosa e toda a poesia
e todo o rumar incerto e certo
na certeza de em amizade acertar-se!
E acertamos o alvo da eterna presença.

Caminhemos sem aturdimentos nem pressões.
Nossas letras ainda andam bêbadas,
mas não por isso deixaremos de bebê-las.
Jamais, é certo.

E o mundo escreveremos em sanha
nossos vôos, e nele
aprenderemos mares e casas.

E perderemos o Tempo, e perderemos
nossas pastas, e perderemos
nossos dicionários...
Escreveremos outros!

E perderemos o mesmo bonde velho,
na mesma ladeira velha,
da mesma rua velha,
com os mesmos
sentimentos velhos,
e deitaremos,
definidos pelos arcos,
em nosso mesmo constelar velho e atemporal...

4 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Nostalgia by ~WhiteBook"
Deviantart

Be Fontana disse...

Nossa que lindo, realmente muito inpirador, já fazia um tempo que não passava aqui no blog! Tá ótimo!

João Ludugero disse...

SIMPLESMENTE MARAVILHOSO!!!!
Eu passei e já vou ficando dentro, pois achei uma maravilha tudo que li. De cara a "fuçar", já encontrei verdadeiras pérolas. Cada texto que fiquei fosforescido. O que é isso? Que maravilha de palavras bem ditas. Virei seu fã, de carteirinha. Voltarei mais vezes. De certo que sim. Ganho muito com isso, saio daqui mais rico, encandeado de tanta beleza. Podes crer!
Tenha uma semana esplêndida, com saúde e alegrias bem duradouras. Paz e bem!
Abraços,
João Ludugero, poeta
Obs.: Se puder ir ao meu blog. Vou adorar sua visita; Se gostar, me "persiga". Risos!!!

Sem mais disse...

Supreendente.
Agora passei a admirar...