quarta-feira, 18 de maio de 2011

Exercere


Por Germano Xavier

IX

Eu vou perseguir o que quero, eu sei que devo obrar. Não, eu não posso dar folga aos fantasmas que rondam esses “Mundos”.

Exercere! Exercere!

O que há de mal em exclamar esta palavra? Você se sente afetado por causa disso? Eu não posso acreditar em tudo que está acontecendo aqui. É esse ócio, essa estagnação que me aborrece por inteiro. Ontem fui ao médico. Depois de uma análise, que me pareceu bastante aprofundada, ele me receitou alguns remédios que jamais tinha tomado. Ele disse que eu estava em um avançado processo psiconeurótico e que a minha capacidade de compreender e enfrentar as situações habituais estava muito prejudicada. Ele deu o nome de psicose para o mal que me adentrava, e senti que aquilo não soou bem aos meus ouvidos. Eu estava começando a acreditar que eu era mesmo doente, que precisava de ajuda. Nunca imaginei que chegaria a esse ponto. Quando voltei para casa, preparei um daqueles “chazinhos” de que tanto gosto e fui me deitar. No fundo, eu queria esquecer tudo aquilo.

Confesso que aquela notícia abateu-me profundamente. Fiquei dois dias em cima da minha cama na companhia dos meus antigos e inseparáveis amigos: meus “redondinhos”. Deus, eu não posso parar! Ninguém pode parar, ninguém mesmo! Para que servem os livros em sua estante? Para enfeite?

A teoria dos “Mundos”! A teoria dos “Mundos”!

Você devia abrir os seus olhos e abrir esses livros empoeirados e comidos pelas traças. Os ratos! Não deixem os ratos se apoderarem da Sabedoria. Você é idiota, é?! Não vê que o tempo é passageiro e que os atalhos dão para os desfiladeiros mais sombrios? O que você está fazendo da sua Vida? Eu já te ensinei o melhor dos caminhos (lembra da corda?)...

Quando olho para essas estrelas cintilantes nesse céu azul, percebo-me filho de uma imensidão sem voz e que se manifesta raivosamente quando maculada. Eu sei da minha pequenez. Eu já vi Humildade, e você? Acompanhe todo esse redemoinho de mudanças e veja o quanto você não mudou, o quanto ficou sentado enfiando o dedo no nariz do teu vagar nojento.

Eu não sou louco! Quantas vezes eu vou ter de dizer isso a você? Eu só quero que vocês vivam, e que sintam a brisa azul tocando o corpo de tua pele. Voem! Voem! Tentem alcançar a liberdade quando voarem. Os teus sonhos, eu sei de tudo que te fere! Também sei que você sonha e que seus sonhos também são oceanos, mares, sóis e céus.

Eu só estou aqui porque confio em ti. Eu sei que um dia tudo vai ser diferente do que é hoje, e que seremos mais felizes. Não perca mais tempo! Pegue a corda e corra, mas corra para bem longe, onde ninguém possa te enxergar e, lá do alto, fite a beleza do teu gesto.

Exercere! Exercere!

4 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"transcends by *Hengki24"
Deviantart

Nuestro Cielo disse...


Boa noite, Germano!

Nós, Wilson e Sanzinha, viemos avisar que agora nós escrevemos juntos em um novo blog, o Nuestro Cielo. Como sua amizade é importante para nós e não queremos perder o contato, pedimos que você nos visite em nossa nova casa e nos siga lá. Segue o link:

http://lonuestrocielo.blogspot.com/

Já estamos te seguindo com nosso novo perfil. 
Os blogs "Bom Ruim Assim Assim" e "Jardim Secreto de Sanzinha" serão excluídos. Pode até excluí-los de sua lista de visitas.

Então é isso! Esperamos você em nossa nova casa!

Um beijo grande e um abraço apertado!

Wilson e Sanzinha.

Nina Pilar disse...

Fantástico amigo, gostei como escreves, como deixas tuas impressões...forte e criativo!

abraços

URBAN.GO disse...

Olá!
Passei novamente para ler um pouco mais, e já agora para agradecer a visita ao meu Delicado som.
Abraço, fica bem.