terça-feira, 17 de abril de 2012

Pasolini e o velho desespero



Por Germano Xavier

no dia do seu enterro,
um homem no bar engoliu um trago,
levantou uma das mãos,
ofereceu o corpo líquido rubro
que ladeava o interior do copo
ao amigo que jamais conhecera,
num gesto de lindíssima projeção:

- O mundo, Paolo, o mundo é bárbaro! A luta ainda está entre a velha e a nova caturrice ortodoxa, e eu sei que foi por isso que você partiu, meu amigo. Foi por isso que você partiu, meu velho amigo, porque você quis estar fora do jogo.

5 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"a quiet place
by *prismes"
Deviantart

Bípede Falante disse...

O jogo é um inferno, mas estar na platéia é muito monótono.
bjs

neuminhapoesia disse...

"Estar na platéia é muito monótono". É preciso atuar... e suar.

Daniela Delias disse...

Tua escrita é demais. É forte, viva, cheia de imagens.

Bjo meu,

Dani

Lisa Alves disse...

Ortodoxia vitalícia.