quarta-feira, 18 de abril de 2012

Olhar de Bela Tarr


 Por Germano Xavier

“É incrível toda a poesia que temos para descrever um olhar que nunca se cruzou, apenas se sonha. Eu não sei exatamente em que converto esses olhares imaginativos. Só consigo pensar no olhar de Janus à baleia, o do olhar da baleia a Janus. É de um filme de Bela Tarr, Harmonias de Wch... Algo assim. Como sempre minha memória me apunhala. Assiste essa cena e me diz se eu não tenho toda a razão em falar da intensidade desse olhar.” 

Ela, a menina dos tsurus.

Você tem razão, branca mulher. O olhar é também voz.

4 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Olhar by ~xokos"
Deviantart

Ananda Gouveia disse...

... é voz alta cheia de palavras caladas. O olhar é realmente fascinante. :) Adorei sua casa e pretendo deixar de ser visita para me tornar moradora. Seguindo. Abraço!

neuminhapoesia disse...

Os olhos não são só a janela da alma... são a alma toda.

Lisa Alves disse...

adoro olhos invisíveis, são praticamente portais para a não matéria.