domingo, 1 de abril de 2012

Rótulo



 Por Germano Xavier

vou passar a amar a palavra
como jamais amei,
vou lhe dar um nome
escolher um sobrenome

vou amar a palavra
acima de todas as coisas
e abaixo de todas as outras
assim como amo as coisas do meio
sem receio

amar a palavra que é a coisa
própria coisa da coisa própria
o nome próprio que é seu

amar a borboleta da palavra
larva na lavra lava para depois
do casulo, o vulcão e a asa

9 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Luz e Sentido e Palavra
by ~pixellorac"
Deviantart

Dauri Batisti disse...

Ae Germano,

passando pelo equador para deixar o meu abraço. É claro que vou lendo seu poema, com olhar de demora.

Forte abraço

Pensamento e Fumaça disse...

MEU AMIGOOO QUE SAUDADE DE VOCÊ!!
Apareça um pouco,....
ando sumida também porque estou produzindo, dirigindo e atuando num espetáculo de teatro aqui na minha cidade, dirigir "A hora da estrela" da clarice é uma responsa grande...
Um beijo grande
continuemos....
mell

EDER RIBEIRO disse...

Ah, cara, esta vc deu um show de bola, ensinou. Aplausos em êxtase. Abçs.

Vero Martinelli disse...

Na minha boca corre solta a palavra... dita, maldita,calada, errada, vertical, fria, transparente, livre.
Nos meus dedos vejo a algema,
no papel vejo a cela.
Meu amor... cada traço do que ainda não foi escrito.

Mila disse...

Olá!
Muito bela sua poesia!
Parabéns!
Bjs

Mila

neuminhapoesia disse...

Palavra...amor e tirania. Só nelas as coisas podem ser perfeitas, plenas. Adorei. Parabéns!

Daniela Delias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Controvento-desinventora disse...

Livrar no livro livre a palavra - que ama e lavra.