domingo, 1 de abril de 2012

Zona de sombra


 Por Germano Xavier

há uma zona de sombra
entalada na garganta murcha
uma zona de sombra
no calendário gasto sem dor

há, sim, esta zona
sombria
onde o medo impera
e se estranha o comum

há na égide do progresso
a nossa culpa institucional
as nossas experiências falidas
o melhor que não pudemos fazer
ser

eis a zona de sombra:
o limite
o saudável sentimento excêntrico
 a planta elementar dos sentidos
a terra perdida pelos pés apoéticos

há uma zona de sombra
na própria sombra
à sombra

4 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Sombra na sombra. by ~Pathy"
Deviantart

Controvento-desinventora disse...

Profanada sombra em desertos de luz poéticos, respingam noturnidades no equador-fronteira da ótica do ser ou não ser.

Amanda Andrade disse...

Uma zona que facilmente poderia ser transformada em modo de pensar.

Beijos lindo.

Maria Campos disse...

Há sempre uma zona de sombra, alíás, muitas...
Mas também, sem dúvida alguma, há sempre zonas de sol!

Fique bem!