terça-feira, 17 de abril de 2012

Feuille d’album


Por Letícia Palmeira

Germano, 

Ontem eu li um conto que me fez sentir como se você estivesse ali, bem perto. Nunca uma história te revelou tão claro para mim. O título é Feuille d'album e foi escrito por Katherine Mansfield. Acho que, após ler tantas escritoras, encontrei uma que se tornará minha favorita. A história fala de um homem pelo qual as mulheres sentem algo similar ao sentimento materno: vontade de cuidar, de amar e fazê-lo feliz. O personagem é um tanto estranho aos olhos de todos. Sempre quieto e sem jeito. Uma criatura fora de qualquer padrão de convivência social. E esta ideia permanece até o ponto em que o narrador (ou narradora) permite que o leitor adentre a vida do personagem para enxergar como ele vive. A forma como KM descreve a casa do rapaz, seus hábitos e seus silêncios, transforma o personagem em um homem diferente. Não é mais um simples estranho por quem mulheres sentem compaixão e amor. É um homem que olha paisagens, faz desenhos ao observar o mundo de sua janela e vive em seu pequeno apartamento sempre limpo e organizado. Certo de que não fora moldado a viver perto de todas as pessoas que tentaram cuidar dele, ele permanece saindo de casa sempre vestido da mesma forma, frequenta um café e retorna para sua janela e olha o mundo. É através deste observar o mundo que ele vê uma mulher em outra casa. Uma figura comum, sem aparência espetacular. Apenas uma mulher que limpa sua cozinha e veste sempre um avental. Ele se sente ligado a ela. A mulher é tão solitária quanto o homem. Limpa a cozinha, conversa com alguém que no conto não é revelado e sai para fazer compras sempre no início da noite. Um dia o homem decide seguir a mulher enquanto ela vai ao mercado, ao açougueiro, à quitanda. Ele a segue e não deixa que ela o veja. Ela compra ovos e escolhe aqueles que ele também escolheria. Ele sorri e a segue até em casa. Mas antes ele compra um ovo e caminha até a casa da mulher, sobe escadas e entrega nas mãos dela o ovo dizendo: você deixou cair. E é claro o sentimento de ter encontrado alguém como ele. Alguém que não pertence ao mundo comum. O mundo que ele (o personagem) não conseguia fazer parte. E é assim que te vejo. Alguém que não fora descoberto ainda. 

Leia o conto se encontrar. 
É um romance em quatro páginas (em minha opinião). 
Está no livro Aulas de Canto e outros contos, de Katherine Mansfield. 
E esta leitura é o meu presente ao homem que conheci.

3 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"obliqueness by ~zepiaf"
Deviantart

Amanda Andrade disse...

Parece que é uma leitura interessante essa lindo Germano. Me atraiu, vou procurar para ler.

Beijos e boa noite.

Relojoeiro disse...

Adorei o texto, muito interessante.
Irei procurar mais sobre, obrigado :)
Até breve. abraço!