terça-feira, 27 de março de 2012

A criança como personagem


 Por Germano Xavier

Esta semana realizei a leitura do livro “A invenção de Hugo Cabret”, do Brian Selznick, e uma questão povoou meu inconsciente-consciente antes, durante e depois da leitura: por que a figura infantil nos atrai tanto? De onde vem toda esta empatia quando a personagem principal de uma obra de arte é uma criança? E por que nós a adoramos ainda mais se ela é, além de infante, pobre, maltrapilha, astuta e metida em encrencas dignas de gente grande? Não nos custa muito averiguar isso, pois modelos assim não nos faltam, seja na literatura, no cinema ou em quaisquer outros suportes artísticos. Basta lembrarmo-nos de personagens como Oliver Twist e David Copperfield, do escritor Charles Dickens, só para citar mais dois exemplos. Hugo Cabret é uma espécie de revisitação aos nossos mais internos apegos de vida, um regresso ao que a nós deveria ser sempre de caráter ulterior, um postulado sobre a infância vivida em toda a sua extensão, dobrada em aventuras e descobertas mil. Parece ser uma maneira de saudade esta nossa empatia para com espécies infantis. Parece ser um remorso conosco, uma forma de dizer: Ei, adulto, o que você fez de mim-criança? Será?

6 comentários:

Germano Xavier disse...

Crédito da imagem:

"Hugo Cabret by ~ashlinglily"
Deviantart

Amanda Andrade disse...

Talvez seja isso mesmo. Perdemos tanto ao deixar os anos e a mente complexamente tola do adulto nos dominar que acabamos esquecendo do que alguns minutos atrás fomos.

Beijos lindo.

Suzana Duraes disse...

Eu, particularmente gosto de personagens infantis. Não me esqueço da generosidade de Tistu e das traquinagens de Tom Sawer.

Abraços

Isabel disse...

Olá Germano
gostei de ler o seu texto, mas vim até aqui só para partilhar consigo a minha alegria. Acabei de receber no correio, o livro do Hugo e adorei! É muito mais lindo do que eu imaginava.
Pronto, apeteceu-me dizer-lhe isto, porque a primeira imagem que vi do livro, foi precisamente aqui no seu blogue.
Um abraço e parabéns pelos 1000 textos.

Isabel disse...

1100!

Cristiane Menezes disse...

Vi o filme e amei! Tanto que cheguei a fazer duas postagens sobre ele no meu blog: http://migre.me/8tqzl e http://migre.me/8tqAR O filme possui fatos, acontecimentos e personagens que são reais e muitas pessoas não conhecem, acho que nem as crianças, para estas fica mais o mundo imaginário, a aventura de Hugo, mas há muitas pecinhas neste filme que retratam a França! Achei excelente!