sábado, 17 de março de 2012

Paloma


Por Germano Xavier 

Para Paloma Aimée,
colega de jornalismo que lia Jack Kerouac comigo,
in memoriam.

Pomba.
Voo longe, muito longe.
O que é visto daí de tão longe?
O que é visto daí de tão perto?
Pomba-correia-nos, please.

2 comentários:

Júllio Machado disse...

Ave! Ave que voa e vai ao longe... "o que é bom, mora lá longe"...

neuminhapoesia disse...

Linda homenagem, Germano. Ela merece todas...muito triste essa perda inexplicável. Também fiz um poema dedicado a ela. Está no Blog. Abraço.