quarta-feira, 14 de março de 2012

Poemato


Por Germano Xavier 

Um salve a todos os poetas de verso e de alma que conheci durante minha vida até então.
E outro salve aos que ainda irei conhecer.
Sem a poesia eu não não vivo nem o mundo gira.

eu tô passando de fase
tô poematando
tô passando, mermão
de poeta de verso
pra poeta de alma
tô poematando
tá na cintura
a arma
tá carregada
embaleada no corpo
tá na mente, na ginga, no passo torto
tá tinindo, tá tilintando
tilintanto
tô quase lá
quase pronto
tô pra poematar

7 comentários:

neuminhapoesia disse...

"...Sem a poesia eu não vivo nem o mundo gira" Perfeito.

Controvento-desinventora disse...

Poematemo-nos.Quero morrer nos braços de um poema...em versos que derramem o excesso de vida.

Jacqueline disse...

..."tô poema-tando"... permaneça na sua paixão à poesia, então, é sempre bom no "poema-tar", rsssssssss. Abraço! Boa sexta!

Júllio Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Júllio Machado disse...

Esse "Poemato" tem rap, lirismo, bang-bang, capoeira, samba,e outras coisitas mais que eu não consegui captar, por causa do tilintar que toca lá ao longe...

Abraços, poeta!

Amanda Andrade disse...

Oi Germano.
Que palavras hein. Balas de uma boca mental surpreendente.

Beijos.

Erica Ferro disse...

Poemate de amor, Germano! ;)